Funções do Instrumentador Cirúrgico

1- Ao chegar no Centro Cirúrgico vestir o uniforme privativo, não esquecendo do gorro para proteger os cabelos, máscaras para cobrir o nariz e a boca, e proteção para os pés.
2- Verificar com o chefe do Centro Cirúrgico a confirmação da internação do paciente, os exames pré-operatórios e para que sala foi escalado.
3- Escolher o material especifico para a cirurgia e verificar se está em ordem.
4- Se não estiver familiarizado com o cirurgião, perguntar antecipadamente que fios  serão utilizados durante a cirurgia.
5- Usar técnica de escovação correta, vestir avental esterilizado e calçar as luvas.
6- Dispor na mesa o campo cirúrgico duplo, próprio para a mesa de instrumentador.
7- Dispor o material da cirurgia na mesa, evitando contaminar o mesmo, verificando sempre se nenhum material necessário está faltando.
8- Evitar qualquer tipo de contaminação, conservando as mãos acima da cintura, não podendo encostar estas em qualquer lugar que não esteja esterilizado.
9- Tomar o cuidado para não encostar com a parte não estéril do avental nas mesas auxiliares e de instrumentais, na falta de avental com opa (proteção nas costas).
10- Auxiliar na colocação dos campos que delimitam área operatória, entregando-os ao assistente e ao cirurgião.
11- Passar os instrumentos, sempre tendo cuidado que seja do lado correto, para evitar quedas, e que o cirurgião tenha que vê-lo antes de usar, evitando acidentar-se.
12- Conservar o campo operatório sempre limpo e em ordem para evitar transtornos.
13- Conservar os instrumentos sempre no lugar próprio, nunca deixar a mesa desarrumada.
14- No caso de cirurgias em que são retirados materiais para exame responsabilizar-se até que sejam encaminhadas ao setor competente.
15- Ter o controle do material e instrumental durante toda a cirurgia, prestando atenção em toda e qualquer manobra do cirurgião (contar compressas grandes, pequenas e gazes antes e ao término de cada procedimento cirúrgico).
16- Evitar o desperdicio de fios, porém ter sempre o necessário para evitar complicações durante o ato cirúrgico.
17- Ser consciente. Lembrar que a vida do paciente depende da assepsia do instrumental, além da habilidade do cirurgião.
18- Ao final da cirurgia proceder o curativo, separar o instrumental dos materiais perfurantes e cortantes, evitando dessa forma acidentes.
19- Antecipar os pedidos do cirurgião, evitando o atraso no tempo operatório. Isto se consegue conhecendo instrumental, tempo cirúrgico e, prestando atenção ao desenrolar da cirurgia, a fim de estar sempre um passo a frente do cirurgião.
20- Atenção, iniciativa e rapidez durante todo o tempo. Manter sempre uma técnica perfeita!
DIRETORIA – ANIC NACIONAL
Aprovado em 20/01/1995.